UNK – União Nacional de Kung Fu

Filosofia Kung Fu

Artigos > Filosofia

Budismo Ch’an

filos_budismoBudismo é em essência uma filosofia e não uma religião chinesa no sentido real.

Originou-se na Índia. Buda nasceu no Nepal em aproximadamente 500 a.C. Ensinou que a vida é sofrimento, que tudo é transitório e passageiro e portando cessa de existir. A única certeza é a morte. Tudo isto soa muito negativo e poderia levar os seguidores ao desespero se Buda não tivesse proclamado as quatro nobres verdades:

  1. Tudo é dor.
  2. A causa da dor é o desejo (apego).
  3. Cessando o desejo (apego) cessa a dor.
  4. Para cessar o desejo deve-se seguir a senda dos oito caminhos que são:
    1. Compreensão correta.
    2. Aspiração correta.
    3. Palavra correta.
    4. Ação correta.
    5. Meio de subsistência correto (trabalho e alimentação).
    6. Esforço correto.
    7. Percepção correta.
    8. Meditação correta.

Para ser livre é necessário renunciar ao mundo de ilusões. Budismo não reconhece nenhuma divindade onipotente ou deuses. É uma filosofia em síntese. Há muitas escolas diferentes de Budismo e para nós a mais importante é o Ch’an Budismo (Zen).

O Budismo Ch’an rejeita qualquer forma de pensamento racional.  O homem precisa descobrir seu centro (e a sua natureza búdica).

Há muitas horas em que o Budismo se torna evidente no ensino do Kung Fu.  O treinamento por si próprio envolve sofrimento, através das posturas baixas que o praticante precisa executar para fortalecer o corpo. Durante a aula precisa prestar atenção aos mínimos detalhes nas técnicas, mesmo que pareçam insignificantes e aprender um movimento após o outro.

Um mestre Zen, em resposta a pergunta: ” Como alguém deveria selecionar uma técnica de ataque ou defesa ? ” disse :

” – Isto não é uma questão de escolha. Precisa ser um processo subconsciente, automático e natural. “Pensar” não deve interferir, ou haverá um atraso no processo e portanto um furo. A consciência seleciona uma técnica e o corpo aplica. Simples assim. Pensar antes de atacar não é o caminho correto. Somente sua consciência, sua intuição esta habilitada a perceber o momento em que deve agir. ”

Taoísmo

filos_taoismoProvavelmente originou-se 300 a .C. O sábio chinês Lao Tse usou o termo TAO (caminho) pela primeira vez em seu livro de poemas (Tao Te King). Taoísmo não lida com deliberações teóricas, mas com um jeito de viver que precisa ser seguido para ser experimentado.

Experiências vividas por outros (ex: professores), e ensinamentos escritos, fixos, pré-determinados, não conduzirão ao sucesso. Apenas experiências pessoais levarão ao sucesso.

Os homens deveriam viver em harmonia com as leis da Natureza e ver a si próprios como parte dela (Homem = microcosmo – Natureza = macrocosmo).

Lao Tse disse que é errado usar força contra força . Se a força do openente é maior que a nossa, é melhor dar passagem inicialmente para desestruturar o equilíbrio dele e usar a grande força dele contra ele próprio.

Os princípios de luta do WT  (deixar a força passar, absorver a força oposta, não opor sua força contra a força superior de um oponente, Wu Wei, etc…) e suas manifestações como esquivas e bloqueios que agem dependendo da força do atacante, claramente indicam qual sistema filosófico fez o papel de  padrinho quando WT veio ao mundo.

Confucionismo

filos_confucioConfúcio (Latinização  para Kung-Fu-Tse) nasceu em 551 A. C. na província de Shantung (Cantão). É o mais influente filósofo e pensador chinês e o maior professor da história da China. Dirigia sua própria escola onde ensinava poesia, história e comportamento. Confúcio era o maior exemplo da própria filosofia: ” Se os Ancestrais quisessem que a virtude se tornasse aparente no império, primeiro eles colocariam o governo em ordem; se quisessem a própria casa em ordem, procurariam se aperfeiçoar; se quisessem aperfeiçoar a si próprios, deveriam colocar honestidade em seus corações; se quisessem sinceridade de pensamentos, deveriam completar primeiro seus conhecimentos.”

O ideal do Confucionismo não é o ascético que despreza o mundo, mas o sábio que mantém a medida certa (Tsun Yung !) em todas as coisas e conhece os caminhos do mundo. O homem sábio é notável pela sua disciplina,  sua moral e responsabilidade e honestidade para com a humanidade. Embora busque por prosperidade material e posição social, não e dependente destas coisas e sempre as abandona por seus princípios morais se for preciso.

O homem é o centro do pensamento confucionísta. O Confucionismo acredita fortemente no poder da melhora da educação pública para formar o caráter de cada indivíduo e também da nação. O pupilo precisa ser guiado pelos bons exemplos do professor.  Confucionismo dá grande importância ao princípio que o jovem deve respeitar e honrar seus mais velhos e seus superiores. A benevolência do rei reflete na lealdade dos súditos, o amor de um pai reflete no amor do filho e a afeição das pessoas mais velhas reflete na gratidão e reverência dos mais jovens.

Este efeito mútuo é muito evidente no Kung Fu, como por exemplo no relacionamento entre Sifu (professor) e To-Dai (aluno) ou um Si-Hing (aluno mais velho) e um Si-Dai (aluno mais novo). Isto não é questão de obediência cega; mas sim o fato de cada qual aceitar seu papel e respeitar os demais.

No Kung Fu, resumidamente:

Budismo – a concentração na prática, pelo esforço individual e atitude durante a luta.

Taoísmo – a sabedoria de dar passagem (ser flexível) e a harmonia entre os opostos.

Confucionismo – serve para fortalecer o sentimento mútuo de lealdade e respeito entre aluno e instrutor e pelos métodos de ensino.

[social_warfare]